Veja mais em nosso Blog

5 dicas para se planejar para aposentadoria

A Somas preparou guia com 5 dicas preciosas para você se preparar corretamente para a aposentadoria. Veja nosso artigo e comece a planejar corretamente sua aposentadoria.

Logo Soma$
Equipe Somas - Ariel Serafim
04 de agosto, 2021

COMPARTILHE:

Dicas para aposentadoria5 dicas preciosas para você se preparar para sua aposentadoria

Você ainda é muito jovem para começar a pensar na aposentadoria? Mas, que tal começar a planejar seu futuro? Para muitos, se aposentar pode ser um processo muito burocrático e por isso a equipe Somas elaborou um planejamento com 5 dicas que vão te auxiliar na organização das finanças para essa nova etapa de vida que ainda está por vir.


Reforma da previdência: Aposentadoria


Antes de dar o primeiro passo, é muito importante que você compreenda as novas mudanças que ocorreram na reforma da previdência e como elas se aplicam em sua vida. Anteriomente à reforma, a faixa de aposentadoria que se aplicava a trabalhadores do sexo feminino e masculino era de 65 anos para homens, com ao menos 15 anos de contribuição e de 60 anos para mulheres, com ao menos 15 anos de contribuição.

Essa regra deixou de ser aplicada em novembro de 2019, quando entraram em vigência as novas regras da reforma da aposentadoria, que hoje é válida para todo território nacional.


Veja o que mudou:


A partir do dia 13 de novembro de 2019, a reforma entrou em vigor e novos requisitos foram apresentados para idosos. Eles podem ser resumidos da seguinte forma:

- Homens de 65 anos com 20 anos de contribuição;

- Mulheres de 62 anos com 15 anos de contribuição.

A jornada de trabalho aplica-se às pessoas que se cadastraram no INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) e contribuíram antes da reforma.


1 - Comece seu planejamento (Faça um balanço da sua situação)


Os gastos públicos com previdência continuam aumentando e futuramente não será mais viável para o governo manter as regras estipuladas recentemente, pela nova reforma da previdência. A tendência é que a idade mínima e o prazo de pagamento aumentem de tempos em tempos. Recomendamos que você comece a pensar no investimento de sua aposentadoria o mais rápido possível, pois assim, não afetará tanto seu orçamento e você terá mais tempo para se preparar.

Separamos três tipos de investimentos que mais tiveram destaques recentemente e que podem ser usados para o planejamento da aposentadoria:

IPCA: Ativos com indexação ao IPCA te protegem dos perigos da inflação. O valor mínimo para começar a investir é de 30 reais e a maior vantagem de investimentos ligados ao IPCA é serem seguros, visto que normalmente são títulos do Governo (Tesouro IPCA, por exemplo).

Fundos de investimento: Existem fundos para todos os perfis. Por buscarem altas rentabilidades, alguns deles tendem a ser mais arriscados. A vantagem é que não é preciso ser um investidor experiente para começar, porque quem administra seu dinheiro é um gestor de fundos, que geralmente entende muito sobre o assunto. Um fundo multimercado pode ser uma boa escolha, mas recomendamos que você faça algumas pesquisas sobre o assunto e certifique-se de que o gestor é confiável. Busque uma boa assessoria que te ajude nessa pesquisa.

Ações: São investimentos de maior risco, mas podem garantir a robustez dos retornos a longo prazo. Assim como acontece com os fundos de investimentos, você deve compreender totalmente a empresa e como ela opera para garantir que não seja vulnerável a crises. De forma a montar sua aposentadoria, crie uma estratégia de comprar boas ações e mantê-las pelo maior tempo possível.

Mudar seu foco de investidor e direcioná-lo para a aposentadoria é financeiramente desafiador, portanto, sempre levar em conta como equilibrar os possíveis riscos e evitar que você tenha que assumir a partir de seu dinheiro investido, quando o mercado de ações estiver em baixa.

Vender a um preço baixo, especialmente durante a aposentadoria, pode reduzir significativamente os fundos restantes para os próximos anos.

Dica: Coloque uma parte de seu portfólio em dinheiro ou investimentos de renda fixa de curto prazo, assim você pode obter uma saída deles para cobrir despesas extraordinárias sem ter que vender ações em um mercado em baixa.


2 - Controle seus gastos e coloque a aposentadoria em primeiro lugar


Fazer o planejamento da aposentadoria deve ser uma de suas principais prioridades para ter um futuro estável e tranquilo. O mais importante é estabelecer um método de investimento para a aposentadoria, porém, foque em investir um pouco de seu dinheiro todos os meses e essa dica também pode se aplicar a quem não possui renda fixa (nossa calculadora de Metas Financeiras te ajudará nessa missão).

Envelhecer também pode significar ter despesas que você não possui atualmente, tais como despesas com medicamentos, consultas médicas entre outras despesas comuns nessa etapa da vida. Desse modo, é importante que você faça uma relação de todos os itens a serem gastos no futuro e some-os, levando em consideração apenas o valor atual, sem necessidade de prever a inflação.

Um método bastante eficaz para o controle de gastos é utilizar a regra 50-30-20. Essa regra funciona como uma referência para orientar as pessoas em como pagar suas despesas pessoais e outros orçamentos. Exemplo:

50% para despesas fixas e básicas: essas são as despesas necessárias para manter o dia-a-dia. Inclui despesas com moradia, contas de consumo (luz, água, internet), alimentação, transporte e saúde.

30% taxas variáveis: esse grupo congrega despesas pessoais e voluntárias de todos, como férias no exterior, planos mais sofisticados de TV a cabo, viagens de cinema e restaurantes.

20% para prioridades financeiras: insira aqui os valores que as pessoas devem poupar regularmente para garantir um bom padrão de vida no futuro. Esses são os recursos que você precisa economizar para que o projeto ganhe espaço e torne seus sonhos realidade.


3 - Construir um fluxo de renda


Você pode não ter mais um salário fixo, mas sua renda ainda desempenha um papel importante durante a aposentadoria. A falta de salário não deve afetar sua mentalidade e disposição para gastar na aposentadoria.

Estabeleça um fluxo de renda mensal por meio de seu plano de investimentos para simular o recebimento de salários e certifique-se de que sua meta está correta, avaliando totalmente suas despesas. Você não deve apenas considerar sua carteira de investimentos, mas também outros pilares que compõem sua renda, incluindo a Previdência Social, pensões e anuidades.

Observação: Lembre-se de que onde e como você obtém sua renda tem implicações fiscais para a aposentadoria, portanto, pode valer a pena trabalhar com um consultor financeiro ou tributário para ajudá-lo a desenvolver uma estratégia para sua situação


4 - Previdência Privada: VGBL


Outro método bastante eficaz, para quem deseja poupar dinheiro por meio de uma previdência privada, é através da previdência privada VGBL. Uma das decisões mais difíceis ao aderir a um plano de pensão é que você será tributado no resgate ou na aposentadoria.

Os fundos de previdência VGBL não são tributados diretamente, sendo o fato gerador no momento dos resgates ou quando passam a receber os recursos quando se aposentam. Os investidores podem escolher entre dois modelos de tributação: Regime progressivao ou Regime regressivo.

É importante notar que o investidor deve decidir o tipo de tributação até o último dia útil do mês após a assinatura do contrato, não podendo o investidor alterar o sistema. Caso o investidor não escolha nenhuma opção, a Progressiva será o sistema escolhido.

A decisão por qual tabela (Progressiva ou Regressiva) é mais vantajosa ao investidor, dependerá de algumas variáveis como o salário, tempo que planeja manter os recursos até resgatar entre outras. Veja nossa calculadora exclusiva que te ajudará nessa decisão.

Para fazer a simulação você precisa entender qual dos dois regimes que melhor se encaixa no seu perfil:

Regime Regressivo: Esse método funciona por meio da declaração de retorno e só cobrará impostos na fonte e os investidores não terão permissão para pagar qualquer obrigação tributária pela declaração de renda anual. A taxa aplicável ao investimento depende do período do recurso de investimento.

Ao contrário de outros tipos de investimentos, o sistema VGBL não precisa deduzir parcelas do componente de receita, além disso, a taxa de imposto de renda tende a ser 10%, pois o período de investimentos dos planos de previdência privada tende a ser maior de 10 anos.

Regime Progressivo: O sistema tributário progressivo é mais popular entre a maioria dos brasileiros, pois é o mesmo que a renda utilizada para calcular salários e outras categorias de renda. Esse modo acaba resultando em um aumento de carga com base na renda mensal total.


5 - Escolha as melhores cidades para morar


Optar por morar em cidades tranquilas e seguras durante a aposentadoria pode ser uma de suas melhores decisões para aproveitar essa nova fase de sua vida. Aqui no Brasil existem centenas de cidades que oferecem regiões com essas características citadas acima, porém, você também deve levar em consideração questões como saúde, segurança pública, custo de vida, entre outros. Consulte nosso ranking de melhores cidades para se morar no Brasil e tenha acesso às cidades que mais se destacam na qualidade de vida.

Decidir de imediato qual imóvel comprar, em especial, qual cidade morar, não é uma tarefa nada fácil, por esse motivo tenha sempre em mente o quanto você está disposto a guardar de dinheiro por mês, para que no futuro você já esteja preparado financeiramente para possíveis mudanças em sua vida.





Acesse nossos simuladores e conteúdos para melhorar o seu planejamento financeiro

Nosso próposito é ajudar nossos usuários a tomarem decisões financeiras mais inteligentes.