Veja mais em nosso Blog

Conheça a deflação e seus impactos na economia e nos seus investimentos!

Deflação é o oposto de inflação. Saiba as vantagens e desvantagens de investir no cenário de queda de preços.

COMPARTILHE:

Deflação: o que é e como ela impacta os seus investimentos? [2023]Deflação: o que é e como ela impacta os seus investimentos? [2023]

Vale a pena investir em títulos de renda fixa e atrelados ao índice IPCA mesmo em cenário de deflação. Os investimentos a longo prazo nas modalidades continuam sendo um bom negócio.


O que é deflação?


É a redução generalizada e contínua dos preços médios de produtos e serviços. A deflação é o processo inverso da inflação. Para entender o que é inflação, leia o artigo Tipos de Inflação: conheça mais sobre o impacto da inflação no seu dia a dia.

Essa queda nos preços acontece, em geral, em situações de economia em recessão ou desaceleração. Quando registrada por períodos longos, pode ser um sinal de alerta para a economia.


Como ocorre a deflação?


Há vários fatores que podem influenciar para que a deflação aconteça, sendo a principal, a oferta maior que a demanda do mercado e o enfraquecimento da economia, cenário bastante comum em épocas de crise nos ciclos econômicos. Além disso, a isenção de impostos, decisões governamentais e diminuição no preço de matérias-primas também podem contribuir para que a deflação ocorra.


Deflação, inflação e desinflação: conheça a diferença


A deflação e a inflação são fenômenos opostos. Enquanto o primeiro demonstra a tendência de queda geral do preço dos produtos por determinado período contínuo, o segundo, representa o contrário.

Já a desinflação é a redução da inflação. Os preços sobem, mas de maneira reduzida. Um bom exemplo é o preço do leite nos supermercados. Pense no seguinte cenário: no mês de maio, durante as compras mensais, você percebeu que o valor do produto aumentou cerca de 20% em relação ao mês anterior. Em junho, a alta foi de 15% e no mês posterior, de 12%. Houve um aumento, porém menor do que comparado aos meses anteriores.


O que é o IPCA?


No Brasil, o principal índice para medir a variação média de produtos e serviços é o IPCA – Índice Nacional de Preços ao Consumidor, calculado mensalmente pelo IBGE – que serve como base para que o Banco Central estabeleça a política monetária do país. Atualmente, ele adota o regime de metas de inflação, onde o CMN – Conselho Monetário Nacional define uma meta IPCA e cabe ao BC, através do Comitê de Política Monetária (Copom), aumentar ou reduzir a taxa básica de juros, a Selic.

Para o cálculo do IPCA, o IBGE leva em consideração o custo da chamada cesta básica, composta pelos itens considerados essenciais para o consumo das famílias do Brasil com renda mensal até 40 salários mínimos.

Suas informações estão seguras com a Somas.


A relação entre o IPCA e a deflação


Um resultado que reflete um cenário de deflação, segundo o IPCA, é quando os números mensais de inflação apresentam valores negativos, como ocorreu entre julho e setembro de 2022.

Além da variação dos preços, o IPCA é importante para avaliar a rentabilidade dos investimentos relacionados ao índice.


A deflação no Brasil é real?


O índice IPCA do mês de julho registrou queda de 0,68%, a menor taxa desde 1980. Já os números do IPCA de setembro demonstram que a diminuição da taxa chegou a 0,29%.

Para alguns especialistas, apesar disso, não é possível afirmar que a deflação seja uma tendência no cenário econômico brasileiro, pois a queda deve-se, principalmente, à redução dos impostos no preço dos combustíveis, energia elétrica e serviços de telecomunicações alavancados pelo governo de forma temporária e no contexto internacional, e a queda no preço do barril de petróleo.


IPCA e investimentos


Além de apresentar o cenário a respeito do poder de compra da população, o índice é utilizado como base para o reajuste e avaliação de rendimento de contratos, como os títulos IPCA+ do Tesouro Direto e como taxa de referência de retorno para alguns tipos de investimentos, como os de renda fixa, que também estão atrelados à Selic.

As notícias sobre o IPCA negativo por um trimestre podem assustar quem investe em renda fixa atrelada à inflação, por isso, entender o cenário é fundamental para fazer as melhores escolhas para o seu futuro.

Cadastre-se na assessoria de investimentos da Somase receba ajuda na hora de fazer investimentos.


Como proteger os investimentos dos efeitos da deflação?



Não se desespere!

Os ativos como títulos públicos – Tesouro IPCA+, papéis bancários, CDBs, letras de crédito e debêntures – são investimentos onde a rentabilidade é mensurada a partir do resultado de dois parâmetros: a taxa de juros pré-fixada, estabelecida no início da aplicação e a taxa de variação de inflação. Por serem títulos híbridos, com uma parte pós-fixada em inflação e outra prefixada no momento da aplicação, o Tesouro IPCA+ garante sempre um juro real; isto é, rendimento sempre maior do que a inflação do período.


Encontre oportunidades dentro do seu perfil

Em cenários de crise econômica e deflação, os títulos de renda fixa apresentam desvalorização e investidores tendem a fugir ou se desfazer desse tipo de aplicação que é atrelada à inflação.

Apesar disso, é preciso destacar que a deflação na atual conjuntura tem características temporais e não deve se consolidar a longo prazo no país. Além disso, observando as taxas de juro real, os títulos IPCA+ permanecem uma opção interessante de investimento.

Para entender melhor sobre o assunto, leia o artigo: “O que é Tesouro IPCA+ e como ele pode ajudar sua carteira de investimentos”.

Diversifique a sua carteira

Essa estratégia pode ser fundamental para diminuir os impactos da deflação sobre a carteira de investimentos, pois possibilita o aporte em frentes alternativas do mercado de dinâmicas distintas, atenuando os riscos.

Isso porque o baixo desempenho de um investimento ou de um setor da economia pode não comprometer todo o seu patrimônio, pois nem todos os seus ativos estarão sob as mesmas condições. Um portfólio diversificado pode contar com uma parcela em IPCA+, pela garantia do ganho real ao longo do tempo, e outra em títulos pós e pré fixados.


Conclusão


A deflação, à primeira vista, pode ser considerada positiva quando olhamos pelo viés do consumo, afinal, é praticamente automático enxergar vantagem quando pagamos menos em serviços e produtos.

Todavia, é preciso considerar as implicações do fenômeno a longo prazo e os efeitos na economia e investimentos.

A figura do assessor de investimentos pode ser crucial para entender mais sobre os efeitos da deflação no seu portfólio, além de garantir as movimentações corretas de acordo com o seu perfil.

Apesar dos desafios do cenário, não há razões para se preocupar por enquanto, mas seguir atento às tendências do mercado.

Sendo assim, o investidor deve consolidar uma visão de médio e longo prazo e continuar considerando o investimento em renda fixa como vantajoso.

Monte seu plano para aposentadoria.

Encontre um assessor de investimentos da XP para ajudar com suas finanças através da Somas.

Suas informações estão seguras com a Somas.


Veja mais sobre investimentos:

Diariamente novos artigos especialmente produzidos por nossa equipe para que você possa tomar decisões financeiras mais inteligentes

14 de novembro, 2022
Blindagem Patrimonial: o que é e como fazer? [2023]

Blindagem patrimonial é um procedimento para a proteção do patrimônio de pessoas físicas a partir do poder jurídico.

14 de novembro, 2022
Renda Passiva: o que é e como conseguir? [2023]

A renda passiva é o valor adquirido por meio de investimentos em produtos financeiros. Veja como obter e complementar sua renda.

14 de novembro, 2022
WACC: o que é, para que serve e como realizar esse cálculo? [2023]

O custo médio ponderado de capital é um instrumento importante para detentores de títulos de empresa. Veja mais sobre o assunto.

14 de novembro, 2022
Fundo Fiduciário: o que é e como funciona? [2023]

Fundo fiduciário é um contrato feito para a transferêcia de patrimônio de famílias ou empresas. Veja mais sobre o assunto nesse artigo.

14 de novembro, 2022
Deflação: o que é e como ela impacta os seus investimentos? [2023]

Deflação é o oposto de inflação. Saiba as vantagens e desvantagens de investir no cenário de queda de preços.

14 de novembro, 2022
Fundo Previdenciário: o que é e vale a pena? [2023]

Fundo previdenciário é um plano de previdência privada administrado por empresas do setor financeiro. Veja mais sobre o assunto.

10 de novembro, 2022
Índice futuro: o que é e qual sua importância? [2023]

O índice futuro é um contrato de derivativo operado por especuladores no mercado futuro.

10 de novembro, 2022
Joint Venture: o que é e como funciona? [2023]

Joint Venture é o acordo legal firmado entre duas empresas para conquistar um objetivo específico.

10 de novembro, 2022
Modelagem Financeira: entenda o que é e sua importância [2023]

A modelagem financeira é um sistema que projeta a capacidade de uma empresa de gerar caixa no futuro.

10 de novembro, 2022
Balanço Patrimonial: o que é e como analisar uma empresa através? [2023]

Balanço patrimonial é uma demonstração financeira que apresenta a saúde financeira de uma companhia.

10 de novembro, 2022
Payroll: o que é qual sua importância no mercado? [2023]

Payroll é o principal indicador de empregos da economia dos Estados Unidos. Veja mais sobre e os impactos no mercado.

10 de novembro, 2022
Trade Off: o que é? [2023]

Trade off é escolher algo em detrimento de outra opção. Veja exemplos práticos e entenda mais sobre.

10 de novembro, 2022
Valor Patrimonial: o que é? [2023]

O valor patrimonial é um indicador resultante da divisão do patrimônio líquido da empresa pelo número de ações.

10 de novembro, 2022
Value Investing: o que é e como utilizar? [2023]

O value investing é uma forma de avaliar ações listadas na Bolsa de Valores. Veja mais sobre como utlizar essas técnicas.

10 de novembro, 2022
Wealth Management: o que é e como funciona? [2023]

Wealth Management é uma gestão de patrimônio com diferentes serviços relacionados a finanças para pessoas com elevado poder aquisitivo.

Acesse nosso Blog

Acesse nosso conteúdo e saiba mais sobre finanças pessoais, economia e assuntos diversos.

Toda semana artigos novos especialmente produzidos por nossa equipe para que você possa tomar decisões financeiras mais inteligentes

Acesse nossos simuladores e conteúdos para melhorar o seu planejamento financeiro

Nosso próposito é ajudar nossos usuários a tomarem decisões financeiras mais inteligentes.